Menu
Justamente
Entrar Criar site

SEO White Hat: o que é e como funciona?

Equipe Justamente 27/05/22

Os advogados interessados em obter destaque na internet precisam investir na produção de conteúdo. Mas, para se destacar, os profissionais devem trabalhar com as otimizações corretas, chamadas de SEO White Hat.

As boas práticas de SEO, nomeadas de White Hat, ampliam as chances dos advogados e escritórios terem visibilidade em motores de busca. Desse modo, é possível ampliar a credibilidade do serviços e o número de clientes.

Para entender mais sobre as práticas de SEO White Hat, precisamos nos aprofundar também no significado por trás do SEO Black Hat. A partir disso, é possível entender quais passos seguir ou evitar. Saiba mais!

Como funciona o SEO White Hat?

A prática de White Hat em SEO consiste nas otimizações necessárias para facilitar a visibilidade de conteúdo nos buscadores, garantindo bons índices de tráfego ao site.

O termo White Hat significa chapéu branco, fazendo uma alusão ao acessório utilizado por personagens de filmes de faroeste. Antigamente, a cor branca do chapéu representava o protagonista da trama.

Na área de SEO, a premissa do objeto é semelhante, pois corresponde às otimizações corretas para obter bons resultados nos conteúdos. Ou seja, não há tentativas de buscar destaque burlando as regras dos sites de pesquisa.

Como acontece em boa parte dos filmes, os protagonistas devem enfrentar oponentes na história. No campo de SEO, o Black Hat é uma série de práticas irregulares para destacar páginas no Google.

Em resumo, o White Hat é o conjunto de estratégias que favorecem os conteúdos e sites nos motores de busca. Essas práticas, por sua vez, diminuem as chances de penalizações por parte dos sites de busca.

Mas quais são as etapas de White Hat que precisam estar no marketing de conteúdo jurídico? Conheça abaixo e aprimore suas estratégias de SEO.

Quais técnicas de SEO White Hat usar no marketing jurídico?

Como mostramos acima, as ações de SEO classificadas como White Hat consistem em práticas corretas, que podem ampliar a visibilidade da página no Google.

A relação completa de ajustes inclui aspectos no texto do site, configuração de títulos e otimização de páginas. Além disso, existem ferramentas que ajudam na organização desses itens.

Para destacar os conteúdos relacionados à publicidade jurídica, as práticas de SEO são essenciais. Veja abaixo as principais técnicas.

1. Considere as palavras-chave e a persona do escritório

Uma das etapas essenciais em projetos de SEO é a localização e o uso de palavras-chave adequadas. A partir do uso dos termos corretos, os sites podem garantir destaque nos buscadores, como o Google.

Para saber quais palavras incluir nos conteúdos ou abordar em pautas específicas, o uso de certas ferramentas pelos advogados é essencial. Dentre as opções estão o SemRush e o Ubersuggest.

Nessas plataformas, os advogados observam o volume das palavras-chave, mas também analisam concorrentes e acessam os cenários que possuem chances de ranqueamento.

No planejamento do marketing de conteúdo, os escritórios e advogados devem considerar a área de atuação e os serviços oferecidos para que localizem as palavras-chave e desenvolvam as pautas.

Além disso, é necessário que os profissionais também considerem a persona do escritório para desenvolver os conteúdos. Dessa forma, o tom de comunicação do negócio será uniforme.

No marketing, a persona representa o cliente ideal de uma empresa. Por isso, as ações precisam ser voltadas para essa pessoa fictícia, mas que possui as definições baseadas em clientes reais.

2. Configure os títulos e subtítulos dos artigos

As boas práticas de SEO também indicam o uso de textos objetivos e que estejam fragmentados em pequenos blocos. Nesse sentido, os visitantes do site conseguem fazer a leitura de maneira rápida e dinâmica.

A escaneabilidade dos textos é um elemento essencial, e a divisão dos títulos contribui para que os artigos não fiquem com blocos extensos de texto, pois podem afetar a leitura do material.

Durante a produção dos textos, espera-se que o redator use os títulos (title tags) para aprimorar o artigo. Entre as opções estão o H2, H3 e H4, e ambos possuem regras para serem utilizados.

Digamos que você esteja escrevendo uma pauta sobre direitos do consumidor e queira apresentar os principais pontos da legislação. O título H2 pode ser “7 direitos do consumidor para saber antes de fazer compras”, enquanto cada uma das regras terá um título padronizado em H3, por exemplo.

O title tag é uma configuração indispensável para organizar pontos do texto e facilitar a leitura por parte do visitante. Além disso, o Google pode selecionar fragmentos do texto e destacá-los nas páginas de busca, em Featured Snippets.

3. Meta descrição é indispensável

Para apresentar os sites nos resultados do Google, o algoritmo da empresa também considera a descrição da página, também conhecida como meta description.

Essa configuração traz uma breve definição sobre a página acessada. Em geral, a meta descrição possui entre 120 e 150 caracteres, além de trazer a palavra-chave correspondente ao tema abordado no site.

Vale ressaltar que a inclusão da meta description é uma etapa essencial, pois ela conta pontos para o Google rastrear a página e apresentá-la em resultados personalizados para os usuários.

Contudo, a meta descrição precisa estar configurada nas páginas presentes no site para favorecer a visibilidade nas buscas feitas no Google, já que ela também aparece nos resultados. Veja um exemplo:

SEO-meta-description

4. Desenvolva conteúdos bem escritos

Não é novidade que os artigos com boa qualidade de escrita e informações ricas podem gerar maior engajamento do público. Além disso, os conteúdos tendem a aumentar a credibilidade do escritório, considerando o marketing jurídico.

Nesse sentido, é importante escrever com clareza, objetividade e, sobretudo, utilizar as palavras-chave certas para que o conteúdo tenha chances reais de indexar no Google.

É importante manter o texto coerente e coeso, além de exemplificar trechos que possam confundir o leitor. Para evitar esses problemas, os advogados devem seguir alguns passos fundamentais. Confira!

5. Não esqueça das otimizações internas do site

As otimizações de SEO On Page também fazem parte das ações de White Hat. Um site com layout organizado e carregamento rápido diminui as chances de fuga da página, o que também favorece a presença nos resultados de busca.

Além disso, o Google considera inúmeros fatores para ranquear as páginas em pesquisas, como a responsividade da página. Sendo assim, os sites que abrem qualquer dispositivo têm prioridade nos resultados buscados.

Na prática, além das otimizações em artigos, os sites precisam transmitir uma experiência agradável para os visitantes. Isso favorece a quantidade de acessos recebidos, mas também contribui para o rastreamento das páginas pelos buscadores.

Tenha um site jurídico otimizado para SEO White Hat!

Como podemos ver, as ações de White Hat em SEO favorecem o crescimento do site jurídico. Elas ampliam o tráfego, mas proporcionam uma experiência mais completa para os visitantes.

Na criação do site jurídico, os escritórios também devem desenvolver uma página responsiva, que abra em qualquer dispositivo. Assim, o número de acessos e o ranqueamento no Google podem melhorar.

Com a Justamente, os advogados têm uma plataforma completa para criar site e iniciar a presença na internet. Desse modo, os profissionais conseguem um cartão de visitas virtual para apresentar os serviços jurídicos.

O cadastro é simples: inscreva-se com e-mail e senha. Em seguida, cadastre informações referentes ao escritório, como serviços e áreas de atuação. Por fim, escolha um tema e publique a página. Veja o processo completo.

Nos sites criados com a Justamente, os advogados conseguem publicar artigos ilimitados. Para isso, é necessário assinar o JusPremium, que também garante uma série de outros recursos que aprimoram o site.

Ainda tem dúvidas sobre como podemos te ajudar na criação do seu site jurídico? Entre em contato conosco pelo WhatsApp, (11) 95647-8227, ou escreva para [email protected]

Veja também!