Menu
Justamente
Entrar Criar site

Quais são os cuidados que devo ter com meu site jurídico?

Equipe Justamente 15/12/21

Uma das principais formas de estabelecer a sua presença digital é criando um site para o seu escritório. No entanto, um site jurídico exige uma série de cuidados, tanto para que ele atinja o seu objetivo e traga mais clientes para o seu negócio, quanto para que você fique longe de punições da Ordem dos Advogados do Brasil.

A OAB não impede que os advogados invistam na publicidade para tornarem seus escritórios mais conhecidos. Porém, a instituição estabelece uma série de normas, que, se não respeitadas, podem trazer prejuízos ao escritório. Da mesma forma, a página online deve estar devidamente adequada à LGPD, a Lei Geral de Proteção de Dados.

Além disso, ainda é preciso se atentar aos fatores relacionados ao desempenho do site, para que ele sempre traga bons resultados.

A seguir, entenda melhor sobre os cuidados que você deve ter com o seu site jurídico e saiba como criar a página profissional do seu escritório em menos de 5 minutos.

Atente-se às normas da OAB

O primeiro cuidado que você deve ter com o seu site jurídico é seguir as normas da OAB relativas à publicidade para advogados. No Código de Ética e Disciplina e no Provimento 205/2021, é possível verificar todas as condutas que são ou não permitidas pela instituição neste aspecto.

Em geral, a página online não pode conter elementos que mercantilizem a advocacia, tampouco que configurem captação de clientela. Além disso, o conteúdo apresentado deve ser meramente informativo, mantendo a discrição e sobriedade da profissão.

Entenda abaixo quais são os fatores que mais merecem a sua atenção.

1. Conteúdo informativo

O Art. 3º do Provimento 205/2021 deixa claro que a publicidade profissional do advogado deve ter caráter meramente informativo. Sendo assim, os conteúdos presentes no site jurídico devem seguir esse padrão, evitando determinadas condutas.

Os materiais oferecidos no seu blog, por exemplo, devem ser informativos e educativos. Para ter um resultado melhor com eles, invista em conteúdos ricos, completos e aprofundados, que realmente esclarecem as possíveis dúvidas do seu público-alvo.

O mesmo é válido em textos que falem sobre as áreas de atuação e serviços prestados pelo seu escritório.

Além disso, não utilize expressões mercantilistas, isto é, tudo o que pode ser relacionado a vendas, como “Contrate já”, “Ligue agora”, entre outras. Evite, também, frases de promoção pessoal e que estimulem o litígio.

Outro ponto que é importante destacar é que a OAB proíbe menções de eventuais cargos, funções públicas, relações de emprego ou patrocínio realizado como forma de captar clientes. Neste caso, o profissional só pode mencionar outra ocupação caso ele seja professor universitário.

2. Cores e imagens adequadas

As cores, símbolos e imagens utilizadas no site jurídico, assim como em qualquer outro material do marketing digital do advogado, também merecem cuidados especiais.

De acordo com o Código de Ética, as fotografias, ilustrações, cores, figuras, desenhos, logotipos, marcas e símbolos utilizados devem ser compatíveis com a sobriedade da advocacia.

Sendo assim, opte por cores neutras e moderadas, sem tons extravagantes ou chamativos. Da mesma forma, utilize imagens que estejam de acordo com a sua profissão. Símbolos oficiais e os que são utilizados pela OAB também devem ser evitados.

3. Menção a honorários

Outro cuidado importante para o site jurídico é a referência a preços, formas de pagamento, promoções, e coisas semelhantes. Esses dados devem ser informados diretamente para o cliente, de acordo com o respectivo caso.

A precificação pública dos serviços é muito malvista pela OAB, pois pode facilmente mercantilizar a advocacia. Além disso, a medida também pode mostrar pouco profissionalismo ao cliente, o que não te trará benefícios.

4. Respostas online

No Código de Ética, o Art. 42 indica que o advogado não deve “responder com habitualidade a consulta sobre matéria jurídica, nos meios de comunicação social”.

Tanto no site do seu escritório quanto no seu perfil profissional nas redes sociais, é possível que os seus visitantes e seguidores te encaminhem comentários e mensagens sobre determinado assunto. Porém, não cabe ao profissional dar respostas frequentes, tampouco de forma pública.

Não é proibido responder dúvidas gerais, mas é preciso tomar cuidado para que não se torne uma consulta jurídica online e, ainda, gratuita.

5. Promessas de resultados

Por fim, o advogado não pode incluir em seu site jurídico a promessa de resultados favoráveis. Isso é proibido pela OAB, de acordo com o Art. 6º do Provimento 205/2021.

Vale mencionar, ainda, o art. 31, parágrafo 1º, que veda termos ou expressões que possam iludir ou confundir o público. Por mais que determinado tipo de causa seja ganha na maioria das vezes, cabe apenas ao juiz – e não ao advogado – julgar o processo e dar o resultado favorável ou não.

Apesar disso, não há restrições para o advogado prometer esforço e empenho da sua parte para que a causa seja ganha.

Tenha um site adequado à LGPD

A LGPD regulamenta o tratamento que as empresas e órgãos públicos dão aos dados pessoais de seus clientes e demais usuários, a fim de proteger a liberdade e a privacidade dos consumidores.

No seu site, é possível que você solicite alguns dados dos seus usuários que queiram se inscrever na sua newsletter ou queiram fazer o download de algum material que você oferece, por exemplo. A partir dessa coleta, os dados devem ser cuidados e protegidos com a máxima cautela.

Portanto, um dos cuidados que você deve ter com o seu site jurídico é ter o consentimento de seus clientes e visitantes para guardar os dados fornecidos, assim como sobre o que será feito com os dados coletados.

Esse é um cuidado fundamental que o seu site jurídico deve ter, a fim de respeitar a privacidade de seus clientes e usuários, e penalidades mais sérias, como uma multa que pode chegar a até 2% do faturamento anual, com limite de R$50 milhões por infração.

Por essa razão, coloque em prática estas 3 dicas.

1. Seja transparente quanto ao uso dos dados coletados

Um dos pilares da LGPD é a transparência das empresas para com os seus consumidores. Por isso, é fundamental que os seus clientes fiquem cientes sobre os dados que você precisa coletar.

Especificamente no seu site jurídico, inclua essa informação na política de privacidade presente na página. Procure deixar claro quais dados serão coletados, assim como o que será feito com eles, prezando pela máxima transparência.

É importante, ainda, que essa política de privacidade fique acessível a qualquer visitante, em uma área visível do seu site.

2. Colete menos dados para o marketing digital

A LGPD traz também a reflexão sobre a redução dos dados coletados. Sendo assim, no site do seu escritório, busque coletar apenas os dados que são absolutamente necessários para as suas ações de marketing digital, como o e-mail marketing.

Se certo dado não é relevante para o seu objetivo, não há razão para coletá-lo. Lembre-se: quanto menos informações sobre o seu visitante você tiver, melhor. Afinal, quanto mais dados, maior a responsabilidade de guardá-los e protegê-los.

3. Procure não coletar dados sensíveis

Na LGPD, os dados sensíveis são aqueles referentes à origem racial ou étnica, questões políticas, religiosas, sobre sexualidade e saúde, entre outras informações. São dados que podem gerar discriminação social e, por isso, exigem cuidados mais específicos.

Sabendo disso, a proteção dos dados sensíveis deve ser máxima. Diferente dos dados pessoais, que podem ser recolhidos a partir do consentimento do titular, estes dados só podem ser coletados mediante autorização específica e destacada do titular.

Portanto, evite coletar este tipo de dado, priorizando aqueles que são necessários para as suas estratégias de marketing.

Para saber mais sobre a LGPD e como adequar o seu site a ela, confira esta matéria.

Otimize o seu site jurídico

Além dos cuidados já mencionados, é fundamental que você otimize o seu site jurídico, para que ele tenha um bom desempenho.

Essa otimização envolve as técnicas de SEO, que, em português, significa Otimização para Mecanismos de Busca. Em outras palavras, seu site ficará nos parâmetros corretos para ser bem reconhecido pelos buscadores – Google, Bing, Yahoo!, entre outros – e ter uma boa posição em suas páginas de resultados.

Para otimizar seu site, é preciso se atentar a uma série de fatores. Veja abaixo quais são os principais.

1. Responsividade

Um site responsivo é aquele que se adapta às telas dos diferentes dispositivos, proporcionando uma boa experiência tanto para o visitante que usa o celular, quanto para o que acessa sua página pelo computador.

Ao se atentar a essa característica do seu site, você não só permite que os seus usuários tenham uma boa navegabilidade na sua página, como também a deixa otimizada para ser indexada e bem rankeada (reconhecida pelos buscadores e bem posicionada).

Os sites oferecidos pela Justamente, por exemplo, já são responsivos, permitindo ao advogado visualizar como o conteúdo ficará nas telas de smartphones e também computadores.

2. Velocidade do site

Ter um site que carrega rápido também te ajuda a ter melhores resultados. Esse é um dos cuidados mais importantes que se deve ter com o seu site jurídico, já que ele pode influenciar nas taxas de permanência e rejeição da sua página.

Uma dica para não ter um site lento é se atentar às imagens utilizadas nele. Imagens muito pesadas fazem com que a página carregue em uma velocidade menor, o que pode afastar os seus visitantes.

O ideal é que o usuário clique no link do seu site e seja redirecionado rapidamente, sem ter que esperar muito. Essa espera, quando muito longa, faz com que o interessado desista e saia da sua página.

É importante ressaltar que, quando falamos de uma “espera muito longa” em carregamento de sites, não significa muitos minutos. Alguns segundos já são o suficiente para afastar quem quer entrar no seu site.

Sendo assim, dê preferência a imagens mais leves e compactas. Se a imagem que você tem é grande e pesada, você pode usar sites e aplicativos para compactá-la, como o TinyPNG.

Além disso, fazer o upload da imagem no formato em que ela será usada também pode te ajudar com isso. Para redimensionar a foto, é possível utilizar o próprio Paint ou uma ferramenta gratuita da Adobe.

3. Palavras-chave

Palavras-chave, também chamadas de keywords, são qualquer expressão utilizada por um potencial cliente para fazer uma busca na internet. No caso do seu site jurídico, esses termos podem ser um serviço prestado pelo seu escritório, uma área de atuação, uma lei, ou até o seu próprio nome e o do seu negócio.

Sabendo disso, essas palavras-chave precisam estar presentes no seu site. É possível desenvolver landing pages (páginas extras) focadas nas keywords que mais têm a ver com o seu ramo, assim como criar diversos conteúdos no blog com esses termos.

No caso do blog, é ainda melhor: com várias matérias, você tem ainda mais chances de ser encontrado nas páginas de resultados dos buscadores. E o uso correto das palavras-chave é fundamental para que esses conteúdos sejam indexados e bem rankeados.

Para utilizar as keywords corretamente no seu site, principalmente nos conteúdos do blog, mencione-as sempre que necessário, cuidando para que não fique sobrecarregado e artificial. Além disso, coloque-as nos títulos e use sinônimos e variações.

4. Title tag e meta descrição

O title tag e a meta descrição são elementos do seu site que aparecem nas páginas de resultados dos buscadores a partir de uma pesquisa.

title-tag-meta-descricao-justamente
Passe o mouse sobre a imagem para ampliá-la.

Definir o title tag e a meta descrição em qualquer conteúdo do seu site jurídico é mais um dos cuidados necessários, uma vez que eles podem ser decisivos para que um usuário acesse a sua página.

O papel deles é indicar ao público sobre o que é o seu conteúdo, devendo persuadi-lo a clicar no link.

O title tag é o título da sua matéria ou página do site. Ele não precisa, necessariamente, ser igual ao título real. Por ter um espaço pequeno, ele deve ser mais compacto, mas, ao mesmo tempo, atrativo para o leitor. Além disso, é fundamental que ele tenha a palavra-chave.

Já a meta descrição é a parte que fica embaixo do title tag, dando um pequeno resumo sobre o assunto do conteúdo do link. Ela também tem poder de influência, e, por isso, deve ser atrativa e conter a palavra-chave.

Por fim, é importante que você inclua links internos e externos nos conteúdos presentes no seu site. Se você tem vários artigos no seu blog, é possível fazer uma ligação entre as matérias, mencionando o assunto abordado em uma delas e fazendo a linkagem.

Fazendo isso, o visitante do seu site pode continuar mais tempo nele, visitando outras páginas e conhecendo mais o seu escritório. Além disso, isso também ajuda o Google a entender melhor o seu site, o que aumenta suas chances de aparecer nos resultados do buscador.

Os links externos também são importantes. Apesar de serem uma forma do seu visitante deixar o seu site, dependendo do link que você usar, ele pode dar mais credibilidade ao seu conteúdo, principalmente se forem de fontes oficiais.

Nesta matéria, confira 10 dicas para otimizar o seu site.

Como criar um site jurídico de forma fácil e rápida?

Apesar de demandar alguns cuidados essenciais para evitar punições da OAB e multas, e para ter um bom desempenho e resultados favoráveis, um site jurídico é uma das principais formas de estabelecer sua presença digital e desenvolver seu marketing jurídico.

Alguns advogados acabam perdendo muito tempo ou dinheiro na busca de um site para o seu escritório. Porém, isso não é mais necessário. Com a Justamente, é possível criar um site profissional em menos de 5 minutos e de forma totalmente gratuita.

A Justamente é uma plataforma gratuita de sites, pensada por advogados e para advogados. Os sites oferecidos são feitos por programadores, web designers e desenvolvedores, garantindo total profissionalismo à página criada.

Para fazer o seu, faça um cadastro com um e-mail e senha e responda algumas perguntas sobre o seu escritório, como áreas de atuação e serviços prestados. Para finalizar, escolha o tema com cor e fonte, que podem ser alterados a qualquer momento. Veja um passo a passo detalhado deste processo nesta matéria!

Feito isso, seu site estará pronto e você já poderá divulgá-lo para seus clientes, amigos e familiares, além de colocá-lo na sua assinatura de e-mail, cartão de visitas e outros materiais.

Ainda tem dúvidas sobre como podemos te ajudar na criação do seu site jurídico? Entre em contato conosco pelo WhatsApp, (11) 95647-8227, ou escreva para [email protected]

Veja também!