Menu
Entrar Testar grátis

Dicas de conteúdo para advogados: o que postar?

Equipe Justamente 15/07/21

Um dos fundamentos do marketing digital para advogados é a produção de conteúdo. Uma vez que a Ordem dos Advogados do Brasil tem uma série de restrições quando se fala sobre publicidade e propaganda, a alternativa do profissional jurídico é investir no marketing de conteúdo, divulgando conteúdos de qualidade.

A partir disso, pode-se entender quão importante é, para o advogado ou escritório de advocacia, produzir um bom conteúdo, que atraia o seu público-alvo, ao mesmo tempo em que evidencia a sua experiência na área.

Quer investir na produção de conteúdo para ampliar a visibilidade do seu escritório? Entenda como você pode fazer isso nas principais redes sociais, e confira 8 dicas para oferecer um material rico para seus leitores e convertê-los em clientes.

Como produzir conteúdo jurídico na internet?

Atualmente, o advogado que se interessa em desenvolver o marketing jurídico para o seu escritório tem diversas opções. É possível fazer posts em redes sociais, em plataformas específicas para advogados e, ainda, no seu próprio site, em uma página de blog.

A seguir, veja algumas dicas para produzir conteúdos em quatro redes sociais, num site jurídico e no blog do seu próprio site.

1. Posts para advogados no Instagram

O Instagram é uma das redes sociais mais utilizadas pelos usuários e, por isso, um ótimo lugar para divulgar o seu conteúdo.

Nele, você precisa, obrigatoriamente, publicar os conteúdos com uma imagem ilustrativa. Desta forma, você pode utilizar tanto uma foto já pronta, como as encontradas em bancos de imagens gratuitos, como fazer uma imagem personalizada com texto e o seu logotipo, o que pode chamar mais a atenção do seu público e ajudar a fixar a ideia da sua marca.

Neste caso, você não precisa ser profissional em design. O Canva, por exemplo, é um site gratuito que tem templates prontos, que podem ser personalizados com a adição de outras figuras, ícones e textos, além da alteração de cores, fontes e outros detalhes.

Lembre-se de trazer conteúdos pertinentes à realidade do seu cliente em potencial, e de ter um limite de palavras. Como o Instagram é uma rede mais visual, foque nas imagens e ilustrações, mas não deixe de ter uma legenda apropriada e de qualidade.

Além dos posts com imagens, você também pode gravar vídeos, mais curtos ou mais longos. Se você não quiser aparecer, tudo bem! Você pode fazer uma narração e entregar um conteúdo interessante para o seu público. Mas é importante saber que aparecer pessoalmente, seja nos stories, reels ou IGTV, é uma forma de aproximar seus seguidores de você, o que pode aumentar a confiança em seus serviços e o engajamento com o seu conteúdo.

Outras funcionalidades da rede social são o carrossel de imagens e vídeos e os stories. 

O primeiro consiste em uma série de até 10 imagens ou vídeos que podem ser publicados de uma única vez, em um único post. Assim, você pode colocar o seu texto na sequência de imagens, deixando a leitura mais dinâmica e menos cansativa.

O segundo, stories, são publicações que expiram em 24 horas. Apesar disso, você também pode destacá-los e deixá-los salvos no seu feed. Uma dica é criar esses destaques para as áreas de atuação do seu escritório e explicar cada uma delas, dizendo quais serviços estão inclusos. 

Neste caso, você pode tanto utilizar imagens e textos, quanto vídeos feitos por você.

2. Marketing jurídico no Facebook

No Facebook, as estratégias de marketing jurídico são um pouco mais limitadas do que no Instagram, uma vez que a plataforma é mais restrita.

É possível publicar imagens com textos e/ou legendas, assim como vídeos explicativos e stories. Porém, existem algumas diferenças. No caso dos stories, por exemplo, você ainda consegue fazer publicações que expiram em 24 horas, mas não consegue deixá-las salvas em destaque na sua página, como é o caso do Instagram.

De resto, você pode seguir a mesma linha que no Instagram. Utilize imagens que estejam de acordo com o universo e sobriedade jurídica, textos não muito longos, mas de qualidade e que respondam aos possíveis questionamentos do seu público, e vídeos de curta ou longa duração, inclusive carrossel de imagens e/ou vídeos.

E você não precisa se preocupar em criar conteúdos diferentes nas duas redes, basta se atentar para o caso de haver a necessidade de adaptação de alguma parte do texto. Assim, você economiza tempo na hora de produzir os conteúdos e consegue alimentar todas as suas redes com informações úteis.

Vale saber que por meio da plataforma Facebook for Business, oferecida pelo próprio grupo, é possível gerenciar as publicações, interações e mensagens recebidas tanto pelo Instagram, quanto pelo Facebook. Clicando aqui você pode encontrar mais informações sobre as funcionalidades oferecidas pelo Facebook for Business.

3. Canal do escritório de advocacia no YouTube

No YouTube, você tem ainda mais liberdade para explicar os seus conteúdos com toda a profundidade que você desejar. Criando um canal para o seu escritório na plataforma, você pode investir em vídeos que abordam com detalhes temas muito relevantes para seus possíveis clientes.

Se no Instagram e no Facebook, o ideal é ter textos mais curtos, possibilitando uma leitura mais rápida, no YouTube você pode entrar a fundo em questões diversas. Além disso, em um vídeo, você pode se expressar melhor, além de prender mais a atenção do seu espectador. 

Atente-se à duração do vídeo. Você pode fazer vídeos mais longos e mais completos, porém, também pode entregar um conteúdo de qualidade em vídeos pequenos, que não ocupem tanto tempo do público. 

Lembrando principalmente que quando o usuário está procurando pela solução de um problema, quanto mais rápido ele souber o que fazer, melhor.

Por fim, tenha cuidado com o seu vocabulário. Na plataforma, seu público será formado por leigos, e não por advogados. Por isso, opte por uma linguagem simples, que seja compreensível a todos. Se precisar usar uma expressão jurídica, explique-a muito bem.

4. Perfil de advogado no LinkedIn

O LinkedIn é outra rede social em que você pode se empenhar para produzir um bom conteúdo e ampliar a sua rede de contatos. A plataforma consiste em uma rede social profissional, onde você pode ter contato direto com outros profissionais.

Uma vantagem do LinkedIn é que você pode direcionar o seu conteúdo. Se um dos serviços prestados pelo seu escritório é especificamente para profissionais de determinada área, por exemplo, as suas publicações podem ser direcionadas para este público.

Além disso, você pode criar conexões com os profissionais que pretende atingir. Assim, seu conteúdo pode ser exatamente aquilo que suas conexões procuram.

É válido, ainda, ressaltar a importância da sua sociabilidade na rede social. Não a utilize apenas para publicar seus materiais, mas também para interagir com demais perfis, uma vez que isso ajuda a entregar suas publicações para mais pessoas. 

5. Jusbrasil para advogados

O Jusbrasil é um site jurídico que funciona como uma rede social para advogados, ao mesmo tempo em que permite que pessoas encontrem os advogados para contratação.

Sendo assim, é um espaço onde você, como advogado, pode publicar artigos e textos informativos sobre assuntos diversos.

O conteúdo publicado no Jusbrasil pode ser mais longo e, consequentemente, mais profundo. É possível explicar melhor os assuntos abordados, com exemplos que têm sentido para o público e uma linguagem simples e clara, sem bordões jurídicos.

Apesar disso, seus materiais também podem ser consultados por outros profissionais do direito, o que te dá a oportunidade de se tornar referência e autoridade no seu próprio ramo, ou seja, entre seus colegas de profissão.

Neste caso, você pode conseguir clientes indiretamente – um advogado que é procurado por um cliente pode indicar os seus serviços caso ele não seja especialista no serviço desejado.

6. Blog no site jurídico

Muito semelhante ao conteúdo publicado no Jusbrasil, os materiais divulgados no blog do seu site podem ter um número maior de palavras e abordar os temas com maior profundidade.

Seus conteúdos podem abordar os serviços prestados pelo seu escritório, assim como assuntos relacionados, desde que façam sentido para o seu leitor.

Por exemplo: um advogado que atua no Direito do Trabalho pode oferecer aos seus leitores matérias sobre como funciona o cálculo de uma rescisão contratual, o pagamento de férias, tipos diferentes de demissões, insalubridade e periculosidade, entre outras coisas.

Já um advogado que atua no Direito Previdenciário pode escrever sobre a aposentadoria por idade e a aposentadoria por tempo de contribuição, documentos necessários para dar entrada no processo de solicitação da aposentadoria, ou ainda sobre as vantagens de contratar um advogado para este processo.

8 dicas para produção de conteúdo para advogados

Mesmo sabendo quais plataformas podem te ajudar na divulgação do seu conteúdo jurídico, é importante saber de que forma produzir os materiais, a fim de ter um bom resultado com todo o tempo e trabalho investido. A seguir, veja 8 dicas para colocar em prática na sua produção de conteúdo.

1. Saiba qual é o seu público-alvo

Em primeiro lugar, é muito importante que você saiba para quem você vai escrever. O objetivo, ao investir no marketing de conteúdo, é dar mais credibilidade ao seu escritório, além de atrair mais clientes.

Sendo assim, seu principal público são pessoas leigas, que buscam a solução de algum problema. Há alguma dúvida relacionada à área jurídica, e o seu conteúdo deve responder à questão existente.

É a partir do seu público-alvo que você definirá os temas a serem abordados e a linguagem a ser utilizada.

2. Defina os seus temas

Ao planejar a sua produção de conteúdo, defina quais serão os temas abordados no seu blog, redes sociais ou outro canal. É importante que você selecione temas que tenham a ver com o seu trabalho e com os eventuais problemas do seu leitor.

Se uma das áreas de atuação do seu escritório for Direito do Consumidor, por exemplo, você pode ter matérias sobre negativação e cobrança indevida, suspensão ou cancelamento de um serviço que está com o pagamento em dia, propaganda enganosa, entre outros assuntos que tenham relação com esta área do direito.

Já se você presta serviços relacionados ao Direito de Família, você pode oferecer materiais sobre o processo do divórcio, documentos necessários para dar entrada no processo de adoção, a importância do inventário, como funciona o pagamento da pensão alimentícia, e demais assuntos. 

3. Foque na qualidade

É possível que alguns profissionais pensem que o que mais importa é a quantidade de materiais publicados, seja em um blog, nas redes sociais ou em demais canais.

No entanto, por mais que a frequência seja algo positivo, ela não é a prioridade. É fundamental que você foque na qualidade dos seus conteúdos, procurando sempre oferecer algo que realmente agregue ao seu leitor.

Sua publicidade deve ser exclusivamente informativa, de modo a entregar ao seu público-alvo um conteúdo que lhe seja relevante – que faça sentido para a sua realidade -, ao mesmo tempo em que esteja de acordo com os serviços que você presta.

Portanto, não economize. Invista em um conteúdo rico, de valor e que supra todas as eventuais dúvidas e necessidades do seu público. 

Fazendo isso, o seu leitor entenderá a eventual necessidade de contratar um advogado e, considerando a sua autoridade no assunto, poderá compor a cartela de clientes do seu escritório.

Isso é válido tanto para um blog, onde você pode produzir matérias mais completas, como para posts nas redes sociais, onde o conteúdo é mais restrito, mas que deve ter a mesma qualidade.

4. Seja frequente

Ainda que a frequência não esteja em primeiro lugar, ela também é importante na produção de conteúdo para advogados. A periodicidade deve acompanhar a qualidade dos materiais oferecidos, uma vez que ambas influenciam no bom resultado da produção de conteúdo.

Uma boa opção é criar um calendário de produção. Defina quantas vezes por semana você pretende publicar algo, e em quais dias. Além de ajudar na organização do seu marketing jurídico, você também deixa o seu público ciente sobre um padrão de publicações.

Assim, quem já te acompanha saberá quando esperar por um novo conteúdo.

Além disso, quanto maior o número de matérias ou posts você tiver, maior será a chance de conseguir um bom rankeamento (uma boa posição no Google) e, consequentemente, atrair mais clientes.

5. Utilize palavras-chave

Além de produzir um conteúdo de qualidade, é importante que o Google reconheça o seu material e o recomende para quem estiver fazendo uma pesquisa online.

Uma das formas de ser notado pelo Google (que é o site de pesquisa mais utilizado atualmente) é usar as mesmas palavras-chave utilizadas pelo público que está procurando por respostas na internet, principalmente nos títulos e intertítulos.

Você pode ter uma ideia de quais são essas palavras se pensar na forma que as pessoas farão a pesquisa sobre o assunto. Porém, existem ferramentas específicas que podem te ajudar nesta tarefa.

Um exemplo é o Google Keyword Planner. Ele é gratuito e permite que você pesquise as palavras-chave associadas às áreas em que seu escritório atua. Assim, você pode ver quais são as expressões relacionadas e aquelas que têm maior volume de busca.

Vale saber que, apesar da utilização das palavras-chave relacionadas ser fundamental para um bom rankeamento, o seu uso exagerado pode ter efeito contrário. Por isso, não as utilize fora de contexto e evite as repetições desnecessárias.

6. Tenha uma linguagem clara

É essencial que você produza os seus conteúdos em uma linguagem que seja compreensível para o seu público.

Lembre-se que seu leitor é leigo, ou seja, ele não é advogado como você. Sendo assim, a chance dele não entender alguma expressão utilizada no âmbito jurídico é bem grande.

Escreva de forma simples, para que não haja nenhuma dúvida na interpretação. Além disso, dê preferência a expressões utilizadas pelo seu público, de modo a se aproximar dele. 

Se, em alguma situação, você tiver que usar uma expressão jurídica, não deixe de explicá-la. Tenha sempre em mente que o leitor precisa entender a informação que você está lhe passando, e a maior parte da responsabilidade por isso é sua.

7. Cuidado com as imagens ilustrativas

Ao utilizar imagens ilustrativas junto aos seus conteúdos publicados, seja no blog do seu site, seja nas redes sociais, tenha cuidado para selecionar imagens adequadas.

Em bancos de imagens gratuitos, você pode encontrar um grande número de ilustrações para usar no seu marketing digital jurídico, que tenham a ver com a sua atividade.

Procure por figuras que tenham sentido na área jurídica e que sejam compatíveis com a sobriedade da advocacia, de acordo com o Código de Ética e Disciplina da OAB.  

Além disso, não é permitido usar fotos dos prédios dos Tribunais. Isso evita qualquer associação da OAB com o seu escritório.

8. Atente-se às proibições da OAB

Por fim, assim como as imagens ilustrativas exigem um cuidado especial, há outras coisas que também merecem sua atenção.

Mesmo que o marketing digital jurídico seja permitido pela OAB, há uma série de limitações para colocá-lo em prática. Abaixo, confira a lista do que não é permitido fazer:

Em compensação, as permissões são:

Fique sempre atento às permissões e proibições, para não correr o risco de sofrer uma punição da OAB.

Mas afinal, onde desenvolver a produção de conteúdo do meu escritório?

Talvez você considere a produção de conteúdo no blog um pouco mais trabalhosa do que nas redes sociais. No entanto, é fundamental que você analise e perceba a importância de estar presente nos dois tipos de plataformas.

Sua presença digital no Instagram, Facebook, YouTube e LinkedIn pode ter um ótimo resultado, aumentando a sua credibilidade e ampliando o alcance do seu negócio. Porém, a criação de um site, juntamente com o desenvolvimento de um blog, pode transmitir maior seriedade para o seu escritório.

Nada impede que você invista no marketing jurídico por meio das redes sociais e, ao mesmo tempo, tenha um site que demonstre o real profissionalismo da sua empresa, até mesmo para fidelizar sua atual cartela de clientes.

Com a Justamente, você pode ter um site profissional sem perder tempo e nem dinheiro. Basta responder algumas perguntas sobre o seu escritório e definir os detalhes sobre a aparência da sua página. Em menos de 5 minutos, seu site está pronto e, o melhor, de forma gratuita.

A Justamente é uma plataforma gratuita de criação de sites específica para profissionais do direito. Foi pensada por advogados e oferece sites criados por desenvolvedores, programadores e web designers, garantindo profissionalismo de acordo com as normas da OAB com relação ao marketing jurídico.

Você não precisa perder tempo procurando os profissionais adequados para a criação do seu site, muito menos gastar horas tentando fazê-lo você mesmo. Assim, também não é necessário desembolsar valores exorbitantes para ter uma página profissional, e nem esperar por semanas ou até meses para ver o resultado.

Na Justamente, o processo é rápido, fácil e prático. Ideal para a agenda de um advogado. Responda as perguntas sobre o seu escritório e tenha o seu site de advogado grátis em menos de 5 minutos.

Ainda tem dúvidas sobre como podemos te ajudar na criação do seu site jurídico? Entre em contato conosco! Ligue para (11) 96190-0210 ou escreva para [email protected]

Veja também!