Menu
Justamente
Entrar Criar site

9 passos para criar um podcast jurídico

Equipe Justamente 18/04/22

Criar um podcast jurídico pode ser um pouco trabalhoso, principalmente se você começar realmente do zero e se envolver em todas as etapas de desenvolvimento. No entanto, esse tipo de mídia pode te dar um bom retorno, fazendo todo o investimento valer a pena.

Os podcasts têm feito sucesso, e os advogados podem aproveitar a ideia para divulgarem seus escritórios a partir do compartilhamento de conteúdos relevantes e informativos para o seu público-alvo.

Gostou da ideia? Continue a leitura e veja 9 passos para criar um podcast jurídico, sabendo o que considerar nesse processo.

Como criar um podcast jurídico em 9 passos

Criar um podcast abrange diversas etapas, como planejamento geral, escolha de ambiente e equipamentos para gravação, criação de pautas, e a definição de plataformas para postagem. Vejamos os passos de acordo com as três seguintes etapas.

Planejamento Geral

1. Pense no seu público-alvo

Antes de planejar a criação do seu podcast jurídico, é necessário pensar no seu público-alvo, pois é a partir disso que você dará os próximos passos.

Pense em quais assuntos você pode abordar e, principalmente, de que maneira. Utilize uma linguagem compreensível para os seus clientes e pessoas interessadas na sua área de atuação, e não deixe de esclarecer os termos técnicos que você usar eventualmente.

Os assuntos devem ser de interesse do seu público e relacionados à sua área de atuação. Como veremos mais à frente, os temas devem ser relevantes e atrair as pessoas para que você tenha audiência e um bom retorno.

2. Defina o estilo do podcast jurídico

Ainda com o seu público-alvo em mente, saiba qual será o tipo do seu podcast. Abaixo, entenda um pouco sobre alguns tipos mais comuns.

Os podcasts de entrevista talvez sejam os tipos mais produzidos e consumidos pelos usuários. Neste caso, você e um possível outro apresentador convidam um especialista em alguma área jurídica ou semelhante, proporcionando uma conversa sobre um ou vários assuntos.

Podcasts informativos costumam ter um formato mais jornalístico, que pretende apenas passar as informações listadas para aquele episódio.

Você pode unir notícias do dia, assuntos que estejam em alta ou alguma novidade sobre uma de suas áreas de atuação ou serviços prestados.

O podcast painel é muito semelhante ao podcast de entrevista. A diferença está no número de convidados. Enquanto este último traz apenas um convidado por vez, o painel conta com mais convidados, proporcionando uma boa conversa e debate sobre determinado assunto jurídico.

Por fim, o podcast individual tem apenas um apresentador. Diferente do podcast informativo, este estilo pode ser mais dinâmico, onde o locutor busca uma conversa com os seus ouvintes e/ou telespectadores.

3. Escolha a identidade do podcast

O terceiro passo é definir a identidade do seu podcast jurídico. Aqui, é necessário pensar em várias coisas, como o nome do projeto, uma trilha sonora específica, uma logomarca especial, a estrutura do podcast e os quadros que o compõem, a média de duração de cada episódio, a frequência com que você irá publicar, entre outras coisas.

É recomendado que você invista um tempo para decidir esses fatores. O nome deve ser chamativo e interessante, e ter a ver com a sua área de atuação no Direito.

A trilha sonora ou vinheta merece sua atenção, já que a maioria das músicas conhecidas têm a proteção de direitos autorais, o que impede que você as use em seu projeto, ou seja penalizado pela plataforma depois de levar a música ao ar.

Neste caso, a alternativa é pagar os direitos autorais para usar a música, ou utilizar músicas livres de direitos autorais. Exemplos de plataformas onde você pode encontrar músicas assim são o Freeplay Music e o Jamendo.

Outra coisa a ser definida é a identidade visual do podcast. Se o seu escritório já possui um logo, uma boa ideia é utilizá-lo como uma base, e acrescentar um elemento, como a palavra “podcast” ou colocar algum ícone que remeta ao tipo de mídia, como um microfone ou um fone de ouvido.

Pense, ainda, se você pretende fazer o programa em uma sequência determinada. Normalmente, os apresentadores iniciam o programa se apresentando, falam um pouco sobre o objetivo e o tema do episódio daquele dia, anunciam o convidado e, assim, partem para a entrevista ou conversa.

O exemplo acima acontece em podcasts tipo entrevista ou tipo painel. Já nos tipos informativo ou individual, essa sequência pode ser diferente.

No seu caso, considere o tipo de podcast escolhido, pense no seu público-alvo e procure manter uma boa dinâmica, para atrair e segurar os seus ouvintes e/ou telespectadores até o final.

Assim, defina a estrutura do programa e, se quiser, insira quadros especiais, que falam sobre um assunto específico ou que tragam uma abordagem diferente.

Por fim, defina se o seu programa terá um padrão de tempo de duração, e com qual frequência você postará os episódios. Há podcasts que duram poucos minutos, enquanto há outros que duram horas.

Considere, novamente, o seu público-alvo (a disponibilidade de ouvir ou assistir o programa por completo), e os temas que serão abordados em geral. Dessa forma, você pode escolher se terá ou não um padrão no tempo dos podcasts.

Além disso, pense também na frequência. É recomendado que você tenha, sim, uma periodicidade nas publicações, principalmente para acostumar o seu público.

Equipamentos para gravação

4. Tenha os equipamentos necessários

Após fazer esse planejamento, é preciso pensar na parte técnica. Você terá que ter os equipamentos necessários para gravar o programa com boa qualidade.

Em seu formato tradicional, o podcast é apenas um áudio, o qual o público pode ouvir quando quiser. Embora recentemente há vários podcasts disponíveis também em formato de vídeo, o áudio é que deve receber a maior atenção quando falamos da parte técnica.

Por isso, a primeira coisa que você deve pensar é em um microfone de boa qualidade, que capte bem a voz de cada integrante do programa e sem ruídos.

Tenha também um bom gravador de áudio, para gravar toda conversa ou monólogo.

Além disso, invista em fones de ouvido que permitem que você monitore o nível do áudio. Uma boa opção é um par de headphones, que te ajuda a ter mais garantia de que o áudio ficará bom durante a gravação.

Caso você decida fazer um podcast também em vídeo, providencie uma boa câmera. Atualmente, há muitos celulares que possuem ótimas câmeras – no caso, basta utilizar o smartphone, sem a necessidade de comprar algo mais profissional.

5. Procure um ambiente adequado para a gravação do podcast

Com os equipamentos necessários, é preciso definir o local onde a gravação será realizada. O ambiente deve ter uma boa acústica, para que o som não fique com eco ou de má qualidade.

Uma opção é fazer o programa em um estúdio mesmo. Porém, você também pode fazer em uma sala ou ambiente totalmente fechado, sem ruídos externos.

Algumas dicas para melhorar a acústica do local é utilizar materiais que absorvem o som e evitam o eco, como tapetes, carpetes, cortinas, almofadas, estofados, entre outros objetos, e vedar as possíveis janelas do ambiente.

6. Tenha os softwares adequados

O passo seguinte para o seu podcast jurídico é ter os softwares adequados para realizar a gravação e a edição do programa.

Procure um software de gravação de áudio. Como iniciante, é interessante escolher opções mais básicas, com boas interfaces e ferramentas que você conseguirá usar facilmente.

Busque também um software para edição. É normal que erros de gravação aconteçam, ou que você queira que uma parte fique fora do podcast.

Além disso, é preciso também colocar a trilha sonora escolhida, ou a vinheta definida. Por isso, é fundamental ter como editar o seu resultado, até para que ele fique na melhor condição possível.

Aqui, é válida a mesma dica sobre o software de gravação; opte por alternativas mais básicas, que permitam que você, mesmo iniciante, consiga fazer as edições necessárias.

Se quiser, você também pode contratar um profissional só para fazer essa parte para você, ou para te dar um apoio geral em toda a gravação.

7. Saiba em que plataforma publicar o podcast jurídico

Com o podcast já pronto, é hora de publicá-lo nas plataformas disponíveis. Algumas das plataformas que o público mais usa para consumir este tipo de mídia são o Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google Podcasts, Soundcloud, e até mesmo o YouTube, para podcasts que também são disponibilizados em formato de vídeo.

Vale a pena pesquisar um pouco sobre cada uma e ver qual delas é a mais adequada para o seu caso, considerando, principalmente, o seu público-alvo.

Saiba, também, que você não precisa escolher só uma plataforma. É possível colocar o seu conteúdo gravado em várias plataformas, permitindo que ainda mais pessoas tenham acesso a ele.

Desenvolvimento e divulgação

8. Faça um planejamento editorial

Na etapa final, com todo o planejamento da parte técnica do seu podcast jurídico, pense no seu conteúdo em si. Os temas abordados nos seus programas devem ser relevantes para o seu público-alvo, porém, ao mesmo tempo, devem estar relacionados com a sua área de atuação.

De acordo com a sua área do Direito, é possível trazer diversos temas interessantes, desde assuntos mais simples, até os mais complexos. Além disso, caso seu podcast seja em formato de entrevista ou painel, você pode convidar colegas de profissão que atuam em áreas jurídicas diferentes da sua, atraindo um público diferente.

Por fim, considere fazer um planejamento e calendário editorial, predefinindo os temas que serão abordados nos próximos programas, pois isso te ajuda na organização do seu projeto.

9. Divulgue seu projeto

O passo final é divulgar o seu podcast. Você pode fazer essa divulgação no seu site jurídico e nas suas redes sociais, por exemplo. É possível disponibilizar os links do seu perfil nas plataformas que você usa em algum lugar de fácil acesso para os usuários, como no rodapé do seu site, na sua Bio do Instagram ou na parte “Sobre” do Facebook.

Você também pode fazer uma nova divulgação sempre que um episódio do seu podcast for ao ar. Vale fazer uma pequena matéria no seu blog, dando um resumo sobre o tema do episódio, e um post nas suas redes sociais, sempre com o link ou o caminho para que o seu visitante ou seguidor vá até o seu podcast e aproveite o seu conteúdo.

Não se esqueça das normas da OAB

Criar um podcast jurídico para incluir nas suas estratégias de marketing digital é uma ótima ideia, principalmente considerando que este tipo de mídia tem sido muito consumida atualmente. No entanto, assim como qualquer ação de marketing para advogados, o desenvolvimento de um podcast também exige alguns cuidados.

De acordo com o Código de Ética e Disciplina da Ordem dos Advogados do Brasil, a publicidade jurídica deve ter caráter meramente informativo, prezando pela discrição e sobriedade da advocacia, sem configurar a captação de clientela ou a mercantilização da profissão.

Sendo assim, veja o seu podcast realmente como um canal informativo. Tenha como foco instruir e levar conhecimento de interesse do seu público-alvo, que passará a te ver como uma referência na sua área.

Você pode, sim, falar sobre o seu escritório, mas deve ter um cuidado especial. A OAB, no Provimento 205/2021, proíbe menções a demandas e a listas de clientes, assim como a casos concretos e apresentação de resultados.

Além disso, não fale sobre a estrutura física do seu escritório, se houver. Saiba mais sobre o Provimento 205/2021, que dispõe exclusivamente sobre a publicidade na advocacia, e sobre o que o Código de Ética fala a respeito da propaganda jurídica.

Use seu site jurídico a seu favor!

O passo 9 da criação do seu podcast jurídico é sobre a divulgação do seu projeto e seus episódios. É possível usar suas redes sociais e também o seu site, uma página online independente onde você coloca as informações mais importantes sobre o seu escritório e conteúdos relevantes para aparecer no Google.

Por mais que o podcast, as redes sociais e ainda outras estratégias de marketing jurídico sejam excelentes para ampliar a visibilidade do seu negócio, um site para o seu escritório deve ser o principal, unindo todas as outras estratégias.

Com um site, seu escritório ganha uma presença online e agrega mais credibilidade e profissionalismo. Principalmente se você enriquecê-lo com conteúdos que atraem seu público-alvo, você terá mais chances de ser encontrado por clientes em potencial, e poderá ser reconhecido como uma autoridade na sua área.

Nós da Justamente sabemos que a criação de um site pode ser bem complicada, podendo exigir muito tempo, trabalho ou dinheiro. Por isso, conosco você pode fazer o seu site jurídico profissional em menos de 5 minutos e, o melhor, sem pagar nada.

Somos uma plataforma gratuita de criação de sites, pensada por advogados e para advogados. Os sites oferecidos são feitos por programadores, web designers e desenvolvedores, garantindo total profissionalismo à página criada.

Para fazer o seu, faça um cadastro com um e-mail e senha e responda algumas perguntas sobre o seu escritório, como áreas de atuação e serviços prestados. Para finalizar, escolha o tema com cor e fonte, que podem ser alterados a qualquer momento. Veja um passo a passo detalhado deste processo nesta matéria!

Feito isso, seu site estará pronto e você já poderá divulgá-lo para seus clientes, amigos e familiares, além de colocá-lo na sua assinatura de e-mail, cartão de visitas e outros materiais.

Ainda tem dúvidas sobre como podemos te ajudar na criação do seu site jurídico? Entre em contato conosco pelo WhatsApp, (11) 95647-8227, ou escreva para [email protected]

Veja também!