Menu
Entrar Testar grátis

6 dicas para colocar o marketing jurídico em prática

Equipe Justamente 20/07/21

Precisa de dicas para desenvolver o seu marketing jurídico? Essa é uma ação muito importante para o seu escritório, uma vez que ela pode ampliar a sua visibilidade e credibilidade, refletindo na captação de novos clientes.

O marketing digital jurídico é o conjunto de estratégias que o advogado pode colocar em prática para divulgar o seu escritório, de acordo com as normas do Código de Ética e Disciplina da Ordem dos Advogados do Brasil. Uma vez que a instituição possui uma série de restrições quanto à publicidade e propaganda dos escritórios advocatícios, é importante se atentar ao que é ou não permitido, evitando punições da Ordem.

Nesta matéria, confira 6 dicas para colocar o marketing jurídico em prática e divulgar o seu escritório da melhor maneira possível.

Marketing jurídico: 6 dicas para começar

O marketing que pode ser utilizado por advogados deve ser majoritariamente informativo e educativo, de modo a responder as possíveis questões do seu leitor. Portanto, uma coisa que merece toda a sua atenção é o chamado “marketing de conteúdo”.

O marketing de conteúdo consiste na produção de conteúdo rico e de qualidade, a fim de, com ele, atrair futuros clientes. O conteúdo pode ser divulgado de várias formas diferentes, desde posts em redes sociais, até textos mais extensos e complexos, que abordem o tema com maior profundidade.

A partir disso, veja algumas dicas para desenvolver o marketing jurídico do seu escritório e divulgá-lo para o maior número de pessoas possível.

1. Conteúdo jurídico nas redes sociais

As redes sociais são ótimos ambientes digitais para você desenvolver o seu marketing jurídico. Considerando o fato de que muitos brasileiros passam horas do dia neste tipo de mídia, é uma boa opção utilizá-las para divulgar o seu escritório.

Redes como Instagram e Facebook permitem que você ofereça um conteúdo de qualidade utilizando imagens e vídeos. Além disso, você não precisa ter tantas palavras para explicar determinado assunto. Principalmente no Instagram, que é uma rede social majoritariamente visual, as pessoas dão preferência a leituras mais rápidas e dinâmicas.

Portanto, tenha cuidado para entregar algo rico e informativo mesmo em poucas palavras. Se preferir, você pode colocar seu texto nas próprias imagens e fazer um post no estilo carrossel, isto é, publicar várias imagens em um único post.

Outra alternativa é publicar vídeos no YouTube, uma das plataformas de vídeos mais utilizadas no mundo. Você pode criar um canal do seu escritório e publicar vídeos periodicamente com conteúdos que tenham a ver com os serviços que você presta, assim como com a realidade de seus futuros clientes.

Se o seu escritório atua no Direito de Família, por exemplo, você pode fazer vídeos sobre como funcionam os pagamentos de pensão alimentícia, o processo do divórcio, requisitos para o processo de adoção, entre outros assuntos que sejam de interesse do seu público-alvo, ou seja, dos seus clientes em potencial.

Uma dica é fazer um vídeo mais curto, com os principais pontos sobre determinado assunto, e outro vídeo mais longo, onde você pode abordar o tema com maior profundidade. Os dois casos são boas opções para atrair o público.

2. LinkedIn para advogados

O LinkedIn é uma rede social profissional, onde você, enquanto advogado, pode publicar conteúdos interessantes para seus leitores e, ao mesmo tempo, criar conexões que podem influenciar o seu negócio.

Com os conteúdos divulgados na plataforma, você aumenta suas chances de se tornar uma autoridade na sua área e alcançar mais credibilidade.

Como no LinkedIn você tem a possibilidade de se conectar com diversas pessoas de áreas profissionais diferentes, uma boa opção é investir no conteúdo direcionado. Essa dica é útil principalmente se você atuar em causas mais específicas, como as que envolvem professores, profissionais da saúde, jornalistas e trabalhadores da comunicação, entre outros.

Neste caso, você pode criar conexões com os profissionais que deseja atingir e produzir um conteúdo específico e direcionado.

Além de oferecer materiais relevantes e que podem ser valiosos para quem te acompanha, não deixe de interagir com suas conexões. Ao curtir, comentar e compartilhar atividades de outras pessoas, suas próprias atividades podem chegar a mais pessoas, aumentando o seu engajamento.

3. Blog no site para advogado

Entre as dicas de marketing jurídico está outro canal onde o seu escritório pode divulgar um conteúdo informativo e educativo: o blog do seu próprio site. Além de investir nas redes sociais mais utilizadas pelos usuários, é importante que você tenha sua própria página profissional, transmitindo ainda mais seriedade e confiabilidade ao seu público.

Se pelas redes sociais você pode oferecer um material relevante com certo limite de palavras, no blog do seu site você pode abordar os temas com muito mais profundidade, sem limite para a quantidade de palavras.

O ideal é que você entregue textos completos e que tirem as possíveis dúvidas dos seus leitores. Por isso, não economize nas palavras. Escreva o quanto for necessário para explicar tudo o que você quer que seu público entenda, ficando bem longe da superficialidade.

Além de ter um conteúdo muito bem explicado e que seja de qualidade, é fundamental que a sua linguagem também seja acessível. Atente-se ao seu vocabulário e procure usar expressões utilizadas por quem não é advogado. Palavras e expressões utilizadas apenas no âmbito jurídico podem não ser compreendidas por todos, o que dificulta a leitura e entendimento das suas matérias.

4. Conteúdo otimizado para SEO

SEO (Search Engine Optimization) é o conjunto de estratégias úteis para que o seu conteúdo, além de ser encontrado com facilidade, fique entre os primeiros resultados em mecanismos de pesquisa. Em outras palavras, é uma forma de otimizar os conteúdos disponibilizados, para que eles tenham um bom rankeamento – estejam entre as primeiras opções quando o seu leitor fizer uma pesquisa online.

Normalmente, quando falamos em SEO, o que mais vêm à mente são os mecanismos de busca online, como o Google. Apesar de isso estar correto, é bom lembrar que essas técnicas também existem para as redes sociais ou qualquer outro canal que tenha uma função de pesquisa.

Uma das bases do SEO são as palavras-chave, ou seja, as palavras utilizadas pelo público ao fazer determinada pesquisa. A forma que você as utiliza no seu conteúdo pode ser determinante para ter uma ótima posição nos resultados da busca.

Para começar, é necessário, antes, saber quais são as palavras-chave que você deve usar. Você até pode supor quais são as expressões adequadas, pensando de que forma o seu leitor fará a pesquisa na internet, porém, há ferramentas que podem te ajudar com isso.

O Google Keyword Planner, por exemplo, é uma ferramenta gratuita que permite que você pesquise as palavras-chave associadas às áreas em que o seu escritório atua. Além disso, você também consegue encontrar as expressões relacionadas e aquelas com um volume maior de busca.

Depois de encontrar as palavras-chave que devem estar presentes na sua matéria, coloque-as em lugares estratégicos: títulos e intertítulos, e ao longo do texto, de acordo com o contexto.

Apesar da utilização das palavras-chave ser algo essencial para ter um bom rankeamento, é importante usá-las com moderação. Colocá-las em excesso e fora de contexto apenas para conseguir ser reconhecido pelo Google não é uma boa estratégia. Em alguns casos, pode até ter o efeito contrário.

Essas dicas são mais úteis para a produção de conteúdo para advogados no blog, no entanto, você também pode utilizá-las para as redes sociais. Tenha as palavras-chave em suas legendas de posts e títulos de vídeos no YouTube, além de nas hashtags no Instagram.

5. Google Ads para advogados

O Google Ads é uma ferramenta que permite a compra de palavras-chave. Na prática, isso significa que quando alguém fizer uma pesquisa utilizando a palavra-chave que você comprou, o seu site vai aparecer entre os primeiros resultados no Google.

Essa ferramenta costuma ser mais útil para clientes em potencial que estão mais perto da contratação com relação a outros leitores que estão apenas procurando informações. Ou seja, ela é mais usada para captar clientes propriamente ditos, do que para atrair leitores.

Por exemplo: a palavra-chave “advogado trabalhista em São Paulo” é mais procurada por quem já está em busca de uma contratação, diferente de quem só quer saber sobre determinado assunto dentro do direito trabalhista. Sendo assim, ao comprar esta palavra-chave, seu site ficará entre os primeiros resultados no Google, aumentando suas chances de conseguir um novo cliente.

É importante saber que montar uma campanha de Google Ads não é gratuito – afinal, você compra as palavras-chave. Mesmo assim, é possível começar investindo um valor pequeno, e ir aumentando conforme os seus acessos forem crescendo.

Além disso, para ter um bom resultado com essa estratégia, é importante dar atenção à nota que o Google dá à sua campanha. Caso ela ainda não esteja 100%, significa que você pode melhorar alguns pontos, como a experiência do usuário, a responsividade do seu site e a permanência na página.

A experiência do usuário está relacionada à qualidade do seu site, como a rapidez de acesso, por exemplo. Sites que levam muito tempo para carregar costumam ter uma taxa de permanência menor, o que significa que o leitor não ficou tempo o suficiente no seu site.

A resposividade da sua página também tem a ver com isso. É fundamental que o seu site se adeque a qualquer tela, seja de um computador, celular ou tablet. Isso é outra coisa que influencia na taxa de permanência, uma vez que o leitor pode desistir facilmente pela má usabilidade do site.

Vale saber que os conselhos de ética da OAB das cidades brasileiras têm entendimentos diferentes sobre a utilização do Google Ads no marketing jurídico. Portanto, pode ser que em uma cidade a ferramenta seja permitida, enquanto em outra cidade, não. Procure sempre acompanhar as notícias oficiais no site da instituição da sua cidade para não correr o risco de levar punições da Ordem.

6. E-mail marketing

Mais uma opção entre as dicas de marketing jurídico é o envio de e-mails marketing para quem se inscreve na sua newsletter. Essa estratégia é interessante para que você crie uma memória no seu leitor.

Quando um visitante do seu site se inscreve na sua newsletter, você tem a oportunidade de enviar-lhe conteúdos relevantes, semelhantes aos que já estão disponível na sua página na web. Fazendo isso, você constrói sua autoridade para com esse leitor, e cria nele uma memória – caso ele necessite de algum serviço jurídico algum dia, ele lembrará de você.

É fundamental que você tenha cuidado ao encaminhar esses e-mails. Isso porque o envio só pode ser feito àqueles que realmente deixaram seus e-mails registrados para receber seus conteúdos. Caso você utilize este tipo de estratégia com pessoas que não te forneceram seus e-mails voluntariamente, você pode ser punido pela OAB.

Quais são as regras da OAB com relação ao marketing jurídico?

Agora que você já tem algumas dicas sobre marketing jurídico para ampliar o alcance do seu escritório, é importante que você conheça, ainda, as regras da OAB com relação a este tipo de divulgação.

Além de ter que oferecer um conteúdo puramente informativo e educativo, há uma série de práticas que devem ser evitadas, afastando a possibilidade de punições da instituição.

Estratégias de marketing direto são vedadas, como fazer telemarketing ou entregar panfletos com propagandas sobre o seu escritório. Abaixo, confira outras ações que são proibidas, tanto no marketing digital quanto no marketing offline:

Essas e outras proibições você pode conferir na íntegra no Provimento 94/2000 da OAB e, também, no Código de Ética e Disciplina da instituição.

Em compensação, algumas das práticas permitidas são:

Como ter um site para advogado grátis, fácil e rápido?

Mesmo podendo investir nas redes sociais para colocar em prática as nossas dicas de marketing jurídico, é importante que você também tenha um site. Afinal, trata-se de uma página séria e que pode transmitir maior seriedade e confiabilidade aos seus futuros clientes.

Além disso, é com um site que você poderá criar um blog e divulgar inúmeros conteúdos de qualidade, construindo sua autoridade digital e atraindo cada vez mais leitores e possíveis clientes.

No entanto, pode não ser tão fácil ter um site bom, que garanta uma boa usabilidade aos seus visitantes e que consiga atingir o seu objetivo com sucesso. Na maior parte das vezes, isso pode ser bem trabalhoso ou oneroso, sendo inviável para o seu negócio, a depender do seu caixa disponível.

Uma boa opção no mercado é a Justamente, uma plataforma gratuita de criação de sites e específica para advogados. Com ela, é possível criar um site em menos de 5 minutos, e que satisfaça suas necessidades enquanto profissional da área jurídica de acordo com as normas da OAB com relação ao marketing jurídico.

A Justamente foi criada por advogados e oferece sites feitos por programadores, web designers e desenvolvedores, além de serem responsivos e terem ótima usabilidade. A melhor parte é que você não precisa pagar nada por isso.

Para fazer o seu site com a Justamente, basta fazer um cadastro com um e-mail e senha e responder algumas perguntas sobre o seu escritório, como áreas de atuação e serviços prestados. Para finalizar, é só escolher o tema com cor e fonte, que podem ser alterados a qualquer momento.

Feito isso, seu site estará pronto e você já poderá divulgá-lo para seus clientes, amigos e familiares, além de colocá-lo na sua assinatura de e-mail, cartão de visitas e outros materiais.

Ainda tem dúvidas sobre como podemos te ajudar na criação do seu site jurídico? Entre em contato conosco! Ligue para (11) 96190-0210 ou escreva para [email protected]

Veja também!