Menu
Justamente
Entrar Criar site

6 assuntos para abordar em podcasts jurídicos

Equipe Justamente 18/04/22

Os podcasts jurídicos ganharam espaço nos streamings de áudio nos últimos tempos. Desse modo, os advogados têm investido cada vez mais na criação dos programas.

Hoje, o podcast é um formato de conteúdo consumido por milhões de ouvintes. Na ida para o trabalho, no horário de descanso e em outras ocasiões, o público pode ouvir os episódios e aprender sobre novos temas.

Entretanto, quais devem ser os assuntos abordados no podcast jurídico? Veja abaixo algumas sugestões e entenda as regras sobre a criação do material no marketing jurídico.

Quais assuntos abordar nos podcasts jurídicos?

O podcast é um formato dinâmico, que proporciona inúmeras vantagens para quem trabalha com a sua produção. Em primeiro lugar, ele é acessível para o público, já que está disponível nas plataformas de áudio.

Além disso, os episódios podem esclarecer pontos sobre a advocacia, além de ampliar as chances do profissional fidelizar o público. No entanto, os advogados precisam saber quais temas explorar nos episódios. Confira!

1. Temas incluídos nas áreas de atuação

Num primeiro momento, os temas que estão inclusos nas áreas de atuação podem ser explorados no podcast. Como o advogado já possui conhecimentos prévios, é mais fácil desenvolver roteiros que esclareçam pontos sobre o assunto.

Os advogados especialistas em Direito Tributário, por exemplo, podem gravar podcasts explicando o impacto de certos impostos e encargos para a população ou um determinado setor.

De acordo com a área de trabalho, os advogados devem observar os temas que costumam gerar maiores dúvidas entre o público e esclarecê-los nos episódios do podcast.

Nem sempre os advogados vão conseguir responder os diferentes parâmetros do assunto. Por isso, vale a pena trazer pontos da legislação e convidar colegas para conversar no podcast.

2. Mudanças na legislação

Um segundo assunto para abordar no podcast são as alterações que acontecem na legislação e podem afetar o cotidiano do público. Desse modo, o ouvinte fica atualizado com relação às mudanças.

Esses conteúdos informativos contribuem para que o público fique informado, mas também transforme o podcast em um veículo com maior credibilidade.

Como os ouvintes escutam o podcast no cotidiano, as alterações explicadas no programa garantem que eles entendam a fundo os reflexos práticos da legislação.

Por isso, os advogados precisam acompanhar veículos relacionados à advocacia e órgãos públicos reguladores com frequência para observar quais são as mudanças previstas nas leis que vão entrar em vigor.

3. Ferramentas profissionais

Você utiliza uma ferramenta que tem ajudado na realização de serviços jurídicos? Elas podem ser compartilhadas no podcast para que outros advogados também aprimorem a consultoria oferecida.

Neste tipo de conteúdo, os advogados têm liberdade para falar sobre ferramentas eletrônicas (softwares), mas também outros procedimentos básicos, como organização de processos e clientes.

Compartilhar esses conhecimentos fortalece o exercício da advocacia, já que os advogados vão estar dividindo ensinamentos sobre processos práticos. Por isso, pense em criar episódios do podcast que abordem essas facilidades.

Junto com as ferramentas que podem ajudar nos serviços jurídicos, os advogados também podem falar sobre eventos e conferências que estejam ocorrendo sobre a área.

4. Tendências na advocacia

A advocacia é uma profissão com inúmeros segmentos e especializações. Para orientar colegas que estão pretendendo aprimorar os conhecimentos, o podcast pode trazer tendências relacionadas a cursos e especializações.

No marketing jurídico, os advogados devem produzir apenas conteúdos informativos e educativos. Ou seja, não é possível fazer propagandas referentes a cursos ou formações.

Entretanto, os advogados conseguem observar as tendências relacionadas ao crescimento de determinadas áreas e apresentá-las aos ouvintes.

A partir das tendências apresentadas, os especialistas também podem esclarecer onde os profissionais conseguem ter destaque e conseguir oportunidades de crescimento.

5. Entrevistas com outros advogados

Um formato recorrente nos podcasts é a entrevista com convidados. Nos podcasts jurídicos, os advogados podem convidar colegas e outros profissionais para falar sobre o tema presente no episódio.

Uma boa parte dos podcasts são feitos com mais de um apresentador, o que traz certo dinamismo e flexibilidade ao formato. Por isso, a entrevista é uma maneira de produzir podcasts com maior qualidade.

Na hora de escolher os convidados, sempre avalie o assunto do episódio e verifique as certificações do profissional. No roteiro da gravação, não esqueça de apresentar o convidado e aproximá-lo do bate-papo.

As parcerias com outros advogados nos podcasts podem ampliar a credibilidade do material. Então, não esqueça de elaborar episódios que tenham convidados para enriquecer o conteúdo.

6. Assuntos em pauta na sociedade

Os temas abordados em meio à sociedade também têm espaço para serem discutidos no podcast. Nesse sentido, os advogados devem explicar a parte jurídica dessas discussões.

No marketing jurídico, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) determina que os advogados mantenham a discrição e a sobriedade presentes na profissão.

Por isso, os especialistas estão liberados para fazer comentários sobre os assuntos, desde que preservem os valores indicados pelo órgão oficial.

Além disso, os advogados não podem fazer menções a casos concretos ou prometer resultados nos conteúdos de publicidade jurídica, como o podcast.

Por que investir nos podcasts jurídicos?

Agora que você sabe quais assuntos podem ser abordados nos podcasts jurídicos, é necessário entender os motivos pelos quais é importante investir neste formato.

O podcast é o formato ideal para atingir um público segmentado. Geralmente, quem ouve os programas está habituado a acompanhar os episódios de forma regular. Por isso, ele é um formato no qual os advogados devem trabalhar.

Veja abaixo os motivos para trabalhar com a criação de um podcast no marketing jurídico.

1. Fidelização do público

Os ouvintes de podcasts costumam ser fiéis aos programas consumidos. Desse modo, o investimento no formato pode ser um caminho para chegar até o público e garantir bons índices de audiência.

Por conta disso, os advogados precisam organizar as gravações para que os conteúdos sejam frequentes e consigam ficar próximos ao público.

Assim que lançar episódios novos nas plataformas de áudio, não esqueça de informar os seguidores nas redes sociais. Este movimento também contribui para a fidelização no consumo dos conteúdos.

2. Custos baixos de produção

Quem deseja investir em podcasts jurídicos vai perceber que, com poucos recursos, é possível desenvolver episódios profissionais.

Para aprimorar o conteúdo gravado, os advogados precisam de microfones com boa qualidade para captação de áudio. Com relação à edição, existem softwares, como o Audacity, que facilitam o processo de produção dos episódios.

Há também a opção de contratar estúdios profissionais para realizar as gravações, mas esta opção costuma sair um pouco cara. Avalie o orçamento do escritório antes de fazer a contratação.

3. Edição menos complexa

Quando comparamos com a produção de vídeos, a edição dos podcasts jurídicos é menos complexa. Neste caso, há o manuseio do arquivo de áudio, com a adição de recursos sonoros, como vinhetas e chamadas.

Os advogados podem ter certo trabalho para editar os áudios e construir os episódios. Mas existem cursos rápidos com noções básicas que ajudam no processo de produção.

A etapa de edição é uma fase importante para organizar as falas do podcast e retirar possíveis ruídos que tenham sido gravados. Então, separe um período para editar o material e deixá-lo com maior qualidade.

4. Visibilidade online

Dentro das plataformas de áudio, os podcasts são consumidos por milhões de pessoas. Com episódios bem produzidos, os advogados podem alcançar o público-alvo do escritório.

Para quem deseja trabalhar com o marketing digital jurídico, os podcasts conseguem ser integrados às estratégias e ter destaque no ambiente online.

A audiência do podcast também pode ter resultados melhores com a divulgação dos episódios nas redes sociais. Por isso, desenvolva publicações sobre o lançamento e publique em seu perfil.

Invista no marketing jurídico com um site para advogados!

A produção do podcast é um caminho para gerar material rico nas ações de marketing jurídico. Entretanto, o produto não é a única forma de garantir presença no ambiente online.

A criação de um site jurídico é uma forma para apresentar os serviços do escritório na internet. Além disso, a página pode manter uma linha de contato com os clientes.

Para ter uma página, não é necessário gastar com desenvolvedores e especialistas em design. Na Justamente, você cria um site em poucos minutos para iniciar sua presença online. É grátis e fácil.

Faça um cadastro com e-mail e senha. Em seguida, preencha os campos solicitados com informações do escritório, como serviços e áreas de atuação. Por fim, escolha um tema, as cores e a fonte do site. Veja como fazer!

Se tiver dúvidas sobre a criação de sites com a Justamente, entre em contato conosco pelo WhatsApp, (11) 95647-8227, ou escreva para [email protected]

Veja também!