Menu
Justamente
Entrar Criar site

5 formas de utilizar mídia orgânica no marketing jurídico: confira!

Equipe Justamente 21/03/22

A mídia orgânica deve fazer parte das ações de marketing jurídico. Por isso, os advogados precisam pensar na criação de conteúdos que gerem impactos, sem patrocínios ou impulsionamentos.

Na prática, as mídias orgânicas são os conteúdos que acabam atraindo leitores de forma natural. Desse modo, não há o pagamento de anúncios que acabam aproximando-os do público.

Para advogados, o investimento em mídia orgânica é uma boa alternativa, já que o marketing jurídico possui regras específicas. Entenda mais abaixo e veja como usar a estratégia.

Como utilizar mídia orgânica no marketing jurídico?

Os escritórios devem incluir a produção de mídia orgânica em suas estratégias de marketing. Entretanto, os especialistas precisam respeitar regras presentes no Provimento 205/2021 da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

O documento orienta a publicidade no ramo jurídico e indica que os conteúdos criados tenham caráter informativo e educativo. Ou seja, não é possível desenvolver publicações que mercantilizam a advocacia ou representem a captação explícita de clientes.

Por isso, antes de tudo, os artigos e publicações precisam orientar os leitores. Nesse sentido, a criação de mídia orgânica é uma alternativa para ampliar a visibilidade do escritório.

No entanto, há certos desafios para investir apenas no engajamento orgânico. Os resultados costumam demorar para surgir, quando comparados à mídia paga. Por outro lado, os advogados não precisam fazer grandes investimentos.

Veja abaixo as principais formas de investir em mídia orgânica e destacar os seus serviços jurídicos!

1. Artigos em blogs

O marketing de conteúdo jurídico é uma maneira de proporcionar conteúdo rico aos leitores e, ao mesmo tempo, trazer visibilidade para o escritório na internet.

A publicação de artigos no site do escritório pode aproximar interessados aos serviços. Por isso, vale a pena investir na produção de conteúdos que possam esclarecer dúvidas ou orientar o público.

Um blog post sobre Direitos Trabalhistas, por exemplo, costuma atrair a atenção de colaboradores e empresas que estejam com dúvidas sobre as regras. Localizando o artigo dentro do site, o usuário pode conhecer os serviços do escritório e entrar em contato.

Para que essa jornada aconteça, os artigos presentes no site precisam ser escritos com as técnicas de SEO (Search Engine Optimization). Desse modo, os textos têm maiores chances de aparecer nas primeiras posições em motores de busca, como o Google.

Dentre as estratégias para obter visibilidade em páginas de busca, é necessário trabalhar com palavras-chave e fragmentar o conteúdo em títulos, chamados de heading tags. Com isso, o texto ficará com maior escaneabilidade para o leitor.

Os textos precisam despertar o interesse do público e, quando não há o impulsionamento do conteúdo com recursos financeiros, ele é considerado uma mídia orgânica.

2. Publicações nas redes sociais

Os posts nas redes sociais são essenciais para o marketing jurídico. Hoje, grande parte das pessoas têm perfis nos sites e interagem com os conteúdos diariamente.

A criação de publicações sobre a área de atuação do escritório podem gerar o engajamento de seguidores. Assim, você garante interações orgânicas com os conteúdos e amplia a visibilidade do escritório.

Alguns advogados possuem dúvidas sobre o uso correto das mídias sociais. A princípio, cabem as regras do Provimento: produzir conteúdos informativos e educativos, respeitando a sobriedade e discrição da profissão.

O uso de hashtags (#) também pode colaborar para que um público maior encontre as publicações. Entretanto, não exagere na hora de adicionar os termos e procure abordar temas relacionados à área de atuação.

Com relação aos tipos de conteúdos, os escritórios estão liberados para publicar ilustrações, infográficos e vídeos, sempre respeitando as normas indicadas pela OAB.

3. Gravação e publicação de vídeos

Os vídeos no YouTube e nas redes sociais também são mídias orgânicas. O upload de vídeos nas plataformas, sem patrocínios, pode atrair o público e trazer visibilidade para os assuntos jurídicos abordados.

Para isso, vale considerar as técnicas de SEO para criar títulos e a descrição dos vídeos. Dessa forma, se os usuários pesquisarem sobre o assunto do conteúdo, eles podem encontrar o vídeo e assisti-lo.

O Provimento que orienta o marketing jurídico determina as seguintes regras para a publicação de vídeos pelos advogados na internet:

Sendo assim, os advogados têm a liberdade de publicar vídeos como mídias orgânicas para as ações de marketing. Mas, antes de produzi-lo, observe se eles estão dentro das regras do Provimento.

4. Criação de materiais ricos

Além dos vídeos, artigos e publicações nas redes sociais, os materiais ricos produzidos também são mídias orgânicas. Por isso, eles também precisam fazer parte das ações de marketing jurídico.

O oferecimento de ebooks, por exemplo, é um caminho para atrair clientes, mas também aproximar-se de colegas da profissão. Para isso, o material precisa reunir informações úteis para o público do escritório.

Existem outras mídias que ajudam a manter um relacionamento orgânico com os seguidores. A criação de podcasts, por sua vez, pode esclarecer assuntos jurídicos e ser um material rico sobre inúmeros assuntos.

5. Troca de links (link building)

As estratégias de link building consistem na troca de links ou artigos entre sites. Dessa forma, as páginas investem na possibilidade de ampliar a autoridade dentro de um determinado segmento.

As ações podem ser praticadas a partir da troca paga de artigos, enquanto outras são feitas de forma colaborativa. Ou seja, os sites acabam trocando artigos na tentativa de ampliar a autoridade de ambos.

A troca de links entre as páginas também pode ser útil para ambos os escritórios. No entanto, os sites precisam seguir as regras de segurança, que garantam bons resultados e evitem penalizações.

Com as estratégias de link building, o visitante consegue acessar os conteúdos criados pelo próprio site. Mas durante a leitura, conferir outras matérias e sites que enriqueçam o assunto.

Por que utilizar a mídia orgânica no marketing jurídico?

No cotidiano, a mídia orgânica proporciona uma série de benefícios para os escritórios que investem nos conteúdos.

Por isso, os advogados devem incluir os itens em sua estratégia, ainda mais para economizar os recursos financeiros do escritório. Saiba mais!

1. Aumento da autoridade e credibilidade do escritório

A produção de conteúdos orgânicos é um caminho para ampliar a autoridade de sites em páginas de busca. Um texto bem escrito, por exemplo, pode colocar o site nas posições iniciais do Google, trazendo credibilidade para o escritório de advocacia.

Se os advogados do escritório investirem o tempo na criação de artigos, os resultados após a publicação podem ser promissores. Por isso, as produções devem seguir as regras de SEO para terem maiores chances.

Entretanto, os resultados relacionados à interação com os conteúdos podem surgir apenas depois de alguns meses. É um trabalho que requer paciência e acompanhamento contínuo.

2. Produção de conteúdo rico

A criação dos artigos e publicações nas redes sociais são maneiras de popularizar os temas jurídicos. Desse modo, os conteúdos ricos criados pelos profissionais podem atrair visitas e interações do público.

Mesmo que um artigo tenha sido publicado meses atrás, ele ainda pode ser útil e obter um número relevante de visitas. Nesse sentido, as buscas realizadas em páginas do Google, por exemplo, podem atrair até o texto publicado no site.

Vale ressaltar que os advogados devem utilizar os conhecimentos obtidos ao longo da formação, mas também pesquisar conteúdos em sites especializados para enriquecer ainda mais a publicação.

3. Baixo investimento

A produção de mídia orgânica não requer o investimento de tantos custos, quando compara-se à mídia paga. Ou seja, os advogados não precisam arcar com valores para impulsionar publicações e obter destaque.

No entanto, os escritórios precisam investir na publicação regular de artigos e posts. Desse modo, as chances de ter visibilidade e engajamento nas plataformas serão maiores.

O uso de palavras-chave nos artigos presentes no blog e das hashtags nas redes sociais são etapas importantes para atrair leitores sem precisar fazer pagamentos.

4. Atração do público de forma natural

O engajamento orgânico consiste na localização natural dos posts. Por meio da busca em páginas de pesquisa, como o Google, os leitores conseguem chegar até o conteúdo publicado.

Dessa forma, os escritórios não precisam investir esforços em captar clientes por meio de campanhas e impulsionamentos. Mas, o uso de palavras-chave e hashtags, como já mencionamos, é essencial.

Além disso, os conteúdos criados podem servir para que os leitores localizem o escritório a qualquer momento. A partir do assunto abordado, eles conseguem conhecer o negócio e fazer contato.

Crie um site jurídico para investir em mídia orgânica!

Como mostramos há pouco, a publicação de artigos em blogs é um caminho para trabalhar com mídia orgânica e ampliar a visibilidade na internet.

Para isso, os advogados precisam ter um site para publicar artigos, mas também ampliar a presença do escritório na internet. Com a Justamente, você garante uma página online para apresentar os seus serviços jurídicos.

Em até 5 minutos, os advogados têm um site para que os clientes entrem em contato, conheçam os serviços jurídicos oferecidos e as áreas de atuação.

Para começar, faça um cadastro com e-mail e senha. Em seguida, responda informações sobre o escritório, como áreas de atuação e serviços jurídicos. Por fim, escolha as cores, temas e fontes.

Quer publicar artigos ilimitados em seu site jurídico? O plano JusPremium é a opção ideal para você investir no marketing de conteúdo. Conheça mais sobre o serviço.

Ainda ficou com dúvidas sobre a criação do site pela Justamente? Entre em contato conosco pelo WhatsApp, (11) 95647-8227, ou escreva para [email protected]

Veja também!