Menu
Justamente
Entrar Criar site

4 formas de utilizar mídia paga no marketing jurídico: confira!

Equipe Justamente 18/03/22

Os advogados precisam seguir uma série de regras para fazer ações de publicidade. A mídia paga, por exemplo, é um investimento que pode ser feito dentro do marketing jurídico com certas ressalvas.

A mídia paga consiste nos anúncios pagos para divulgar produtos. Ou seja, as empresas compram espaços em meios de comunicação ou impulsionam conteúdos com o objetivo de gerar leads e ampliar vendas.

Os escritórios de advocacia conseguem fazer divulgações a partir da mídia paga, mas precisam seguir regras indicadas pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Veja abaixo como usar a estratégia no marketing jurídico e ampliar resultados!

Como utilizar a mídia paga no marketing jurídico?

Os advogados que pretendem investir em mídia paga precisam seguir regras específicas. De acordo com a OAB, a advocacia não é uma atividade mercantil, o que impede alguns tipos de divulgação.

Para auxiliar os advogados, a Ordem dos Advogados do Brasil elaborou o Provimento 205/2021. No documento, estão as práticas corretas para fazer o marketing jurídico.

Além disso, o Provimento também indica como os advogados devem utilizar os anúncios pagos para divulgar o escritório, na internet e por outros meios, para evitar penalizações.

Em resumo, os advogados precisam desenvolver conteúdos informativos e educativos. Ambos também precisam seguir a sobriedade e discrição presentes na advocacia, incluindo site e identidade visual.

Com relação a mídia paga, os advogados podem utilizar mecanismos para ter visibilidade online, como o Google Ads, e impulsionar publicações dentro das redes sociais. Veja abaixo as principais formas de investir mídia paga no marketing jurídico.

1. Google Ads

O Google Ads permite que os advogados tenham visibilidade na página de busca do próprio Google. A partir da compra de palavras-chave, o escritório consegue destacar os seus serviços e ser localizado em resultados de pesquisas.

Digamos que um escritório em São Paulo é especializado em Direito Tributário. Nesse sentido, o advogado responsável pode desenvolver uma campanha com a compra da palavra-chave “Direito Tributário em SP”.

Assim, os usuários que pesquisam o termo conseguem localizar o site do escritório com maior facilidade e entrar em contato. Por isso, vale a pena investir recursos em campanhas no Google Ads, lembrando que há concorrência com escritórios do mesmo segmento.

Já acessou algum site e observou as propagandas que surgem na página? Alguns banners são patrocinados por meio do Google Ads, que também viabiliza anúncios com redes de displays.

Em relação aos investimentos, os advogados podem desenvolver campanhas com diferentes valores. A estratégia vai depender dos custos relacionados às palavras-chave e o período de atividade das ações.

Por fim, sempre procure produzir campanhas que orientem o leitor sobre a área de atuação. Ou seja, evite trechos que mercantilizam a advocacia ou caracterizem a captação de clientes.

2. Social Ads

As redes sociais devem estar presentes nas estratégias de marketing jurídico. Hoje, elas são acessadas pela grande maioria da população, sendo um caminho para atrair clientes até o escritório.

Além disso, dentro das mídias sociais, os escritórios de advocacia conseguem impulsionar publicações e atingir mais usuários nas plataformas.

Nesta modalidade de mídia paga, os advogados devem utilizar as redes sociais que fazem parte do plano de marketing jurídico. Se o escritório tiver contas no Instagram e LinkedIn, por exemplo, você pode patrocinar posts nos perfis das redes sociais.

Hoje, os principais sites de relacionamento permitem que empresas patrocinem posts e criem campanhas. No Facebook e Instagram, as ações podem ser feitas dentro da plataforma Business Meta.

Veja abaixo como funciona os anúncios em cada uma das redes sociais:

3. Remarketing

Os escritórios de advocacia também podem colocar em prática as estratégias de remarketing. Desse modo, é possível buscar os clientes que foram atingidos pelas ações, mas não foram convertidos.

Você já pesquisou sobre um produto ou serviço e, ao acessar uma rede social ou site, recebeu ofertas do item buscado? Pois bem, isso é uma estratégia de remarketing: trata-se de um lembrete sobre o produto procurado anteriormente.

Para fazer o remarketing, os advogados podem utilizar o Google Ads e o Business Meta (Facebook e Instagram). Entretanto, os conteúdos precisam ter caráter informativo e educativo. Não esqueça!

De acordo com a interação dos leads, os escritórios também conseguem elaborar e-mails marketing para manter o relacionamento com os possíveis clientes. Nesse caso, o melhor caminho é elaborar uma landing page para captar o e-mail dos possíveis interessados.

4. Native Ads

Além dos anúncios que fazem parte do remarketing, a criação e o patrocínio de artigos também são mídias pagas. No marketing jurídico, por exemplo, os advogados devem desenvolver textos que eduquem e informem o leitor.

Com o artigo finalizado, os profissionais devem contratar planos nas plataformas de Native Ads para que elas adicionem o conteúdo nos sites parceiros.

Você já deve ter visto, em sites e blogs de notícias, a descrição “Conteúdo Patrocinado”, não é? O artigo pode ter chegado lá por conta das técnicas de Native Ads, em outras palavras, a Publicidade Nativa.

O Native Ads consiste na publicação de artigos patrocinados, sem interferir na experiência do usuário que está visitando a página. Ou seja, eles ficam alocados junto com os demais conteúdos do site, tendo maiores chances de engajamento.

Por isso, os escritórios precisam pensar em elaborar artigos e conteúdos úteis para patrociná-los nas plataformas de publicidade nativa. Entre as opções de plataforma estão o Taboola e o Outbrain.

Por que investir em mídia paga no marketing jurídico?

Após conhecer as características da publicidade com mídia paga, é indispensável falar sobre os benefícios que o patrocínio de conteúdos pode proporcionar.

Mesmo que seja necessário direcionar recursos para as ações, o escritório pode colher bons resultados em menor tempo.

No entanto, as ações precisam ter os seus custos analisados. Sem a devida atenção e planejamento, o escritório pode ter as contas prejudicadas. Confira!

1. Favorece a visibilidade do escritório

As mídias pagas ampliam os índices de visibilidade do escritório. Com o patrocínio de redes de pesquisa no Google Ads, por exemplo, o escritório pode surgir nas posições iniciais do Google.

Os banners criados para o marketing jurídico também aparecem em outros sites, dependendo da campanha. Então, é um segundo caminho para que os clientes em potencial cheguem até você.

Com a presença dos anúncios, o tráfego do site do escritório tende a aumentar, o que também amplia o número de contatos para agendar consultas.

Outra vantagem das mídias pagas está no crescimento da autoridade, em sites e nas redes sociais. Os impulsionamentos costumam ajudar na popularização e reconhecimento da marca.

2. Consiga chegar até os clientes ideais

O marketing digital jurídico é feito com base na persona do escritório. Nesse sentido, falamos do cliente ideal, que consumirá os serviços jurídicos do escritório. Por isso, a comunicação deve ser direcionada a ele.

Com a mídia paga, os advogados conseguem aplicar filtros às ações de marketing para que elas cheguem até o público de interesse, principalmente com o Google Ads e o Social Ads.

Quanto mais segmentado estiver o público a ser atingido pelo escritório, melhores serão os resultados dos conteúdos e campanhas.

A segmentação nas plataformas é feita de diferentes formas, mas lembre-se de considerar as informações da persona para aprimorar o impacto desejado.

3. Atingir resultados em menor tempo

O investimento em mídia paga é uma alternativa para os escritórios que desejam obter resultados rápidos. Mas, vale ressaltar que nem sempre os índices previstos serão atingidos completamente.

Durante a criação de campanhas, no Google Ads ou no Social Ads, os usuários conseguem ter uma ideia sobre o retorno do anúncio patrocinado, como o número de contas impactadas.

Em caso de dúvidas, verifique os resultados estimados na plataforma utilizada. Com relação ao remarketing, a publicidade nativa e as propagandas, as métricas e o desempenho podem oscilar. Fique atento!

4. Análise sobre o desempenho de campanhas

Os mecanismos para investir em mídia paga permitem que os advogados observem o desempenho da campanha. Assim, você acompanha, em tempo real, quais foram os impactos dos impulsionamentos.

Dependendo da plataforma e campanha, os profissionais conseguem adaptar o investimento. Desse modo, é possível aplicar mudanças para ampliar o desempenho dos conteúdos.

Geralmente, os painéis oferecem um panorama geral sobre as métricas da campanha. Então, os responsáveis conseguem entender o tráfego e engajamento das ações.

Crie um site jurídico para sua estratégia de marketing jurídico!

Para investir em mídia paga, os advogados precisam direcionar o tráfego para o site ou páginas de captura (landing pages). Dessa forma, os leads conhecem o escritório e podem entrar em contato.

A Justamente é a plataforma ideal para você criar um site para escritório de advocacia. Em menos de 5 minutos, você tem uma página responsiva para apresentar seus serviços jurídicos.

Com a contratação do plano JusPremium da Justamente, os advogados conseguem usar ferramentas do Google para acompanhar o tráfego obtido com campanhas e conteúdos. Veja todas as vantagens!

Para começar, faça um cadastro com e-mail e senha. Logo depois, responda informações sobre o escritório, como áreas de atuação e serviços jurídicos. Por fim, escolha as cores, temas e fontes.

Em caso de dúvidas sobre a criação de site jurídico, entre em contato conosco pelo WhatsApp, (11) 95647-8227, ou escreva para [email protected]

Veja também!